Os memes que definiram o 2018 do brasileiro

2Shares

Quanto mais catastrófico o ano, melhores os memes.

2018 não foi um ano fácil. Depois de uma Copa do Mundo vexaminosa, eleições catastróficas e muitas outras tragédias que assolaram a vida do brasileiro neste ano, não dá nem forças pra continuar. Mas há um consolo diário que nos ajuda a levar a vida sem perder completamente a cabeça: os memes, é claro. E parece que, quanto mais catastrófico é o ano do brasileiro, maior sua criatividade pra tentar fazer divertir a si mesmo e aos outros. Neste ano, os memes serviram, mês a mês, como resumo cômico perfeito do que passamos.

Para comprovar isso, fizemos um listão cronológico que sintetiza o lado tragicômico de ser brasileiro. Rir pode não ser o remédio, mas é ao menos a distração e o consolo para uma população que é tida como a segunda mais fora da realidade do mundo. Que venha 2019.

Janeiro

O primeiro meme de 2018 ganhou seu pontapé ainda em dezembro de 2017, quando Jojo Maronttinni (fka Jojo Toddynho) lançou seu megahit carnavalesco “Que Tiro Foi Esse” e disparou (risos) uma onda de vídeos de pessoas tomando falsos tiros em público e revivendo para dançar sensualmente ao som dessa batida arrocha-forró-funk que só deus saberia como definir.

Já mais pro fim do mês, um roedorzinho despertou nossa simpatia pelo vídeo em que, aparentemente, ele se esfregava e fazia espuma como se tomasse um banho. Obviamente tudo o que é bom dura pouco e logo aprendemos que o ratinho devia estar fazendo esses movimentos por estar, na verdade, angustiado com a água e o sabão. Mas era fofo enquanto a gente achava que estava tudo bem



Fevereiro

Desde o início do ano, sabíamos que nosso 2018 seria uma guerra de discursos e começamos a enaltecer quem falava por nós com o saudoso (sim, já estou nostálgica) meme “lindíssima, falou tudo”. Sinceramente, apesar das minhas buscas, ainda não faço a mínima ideia de como esse meme surgiu (nem como ele foi materializado na foto desse bebê sorridente), mas o importante é sempre enaltecer aqueles que são lindíssimos e falam tudo.

Março

O meme costuma ser efêmero, mas há aqueles que renascem como uma Fênix de seus restos mortais digitais. Foi o que aconteceu em março deste ano, quando Jéssica, da 18ª edição do BBB, deu um lindo discurso sobre uma frase motivacional que tinha praticamente salvado sua vida e, ao final, revelou a sentença: “levanta a cabeça, princesa, se não a coroa cai”. Nada como um velho meme com um novo gás pra entreter diferentes gerações internéticas.

Abril

Abril é aquela coisa: o ano não tá nem no meio ainda, mas já tá dando a vontade de jogar tudo pra cima e desistir de tudo o que você tinha planejado conquistar. Talvez por isso um dos memes mais prolíficos dessa época do ano foi o Akon motivador, que nos lembrava do que precisávamos realizar antes de chutar o balde de 2018 por completo. Ou só que a gente tinha que se fuder mesmo.

Mas como essa vida não se vive de levar tudo a sério, um meme muito mais debochado e, digamos, celestial também surgiu aí por essa época. Duas meninas que pareciam não estar vendo a menor graça numa cantora-mirim gospel que se apresentava na calçada ficaram famosas pelas caras descontentes que faziam e se tornaram, assim, as fadas do deboche.

Junho

Maio foi um tanto fraco de memes, mas junho trouxe todos eles de uma vez porque: COPA. Por mais que o evento tenha sido trágico para nós e que o bebê que ia nascer hexa continuará na barriga da mãe até 2022 pelo menos, ele rendeu alguns bons memes que persistirão por nossos próximos anos sem taça. Tiveram uns mais simples, como Tite e Neymar caindo, mas os que permaneceram foram os mais elaborados.

Não sei vocês, mas cinco dias depois do começo da Copa, eu já estava de saco cheio dos memes de “pai, tenho fome”. Mas o Cristiano Ronaldo não é apenas um pai ruim, ele é também UM HOMEM, UMA MÁQUINA, UMA BESTA ENJAULADA COM ÓDIO PORRAAAAAAA!!!!!

Teve também o Feiticeiro do Hexa, o russo com cara de doido que cedeu sua torcida para o Brasil depois que a país da sede foi eliminado da Copa. Mas nem seus feitiços ajudaram a gente, aparentemente.

Porém, nem só de Copa foi o junho do brasileiro, por incrível que pareça. O caos político já estava começando a rolar e, com ele, vieram os memes. O primeiro partiu de uma tuiteira de direita que desacreditou na notícia que dizia que Lula leu 57 livros em 21 dias, chamando a situação de “irrealista”. Infelizmente ela apagou o tweet desde então, mas achamos um print pra eternizar esse momento maravilhoso.

Julho

Brasil já fora da Copa, eleições chegando mas ainda seguramente distantes o bastante pra gente não surtar falando disso o tempo todo. Essa época do ano foi a que surgiram os memes mais absurdos que o ano de 2018 nos proporcionou. A coisa foi progredindo: primeiro, a gente se forçou a voltar as atenções pros deveres do dia-a-dia e em trabalhar pra comprar do bom e do melhor pra ela, o objeto de seu afeto.

Aí a coisa começou a descontrolar numa espiral descendente de maluquice. Prova disso foi a tal história da despedida da clara e do ovo contada por Fernando Rocha, apresentador do programa Bem Estar, da Globo. A piada é péssima, mas a risada e a empolgação dele são tão contagiantes que é impossível não gargalhar junto. Não sei como o doutor Kalil conseguiu.

E, por fim, talvez o meme mais idiota de 2018: o triângulo que dança sem parar. Lá quando o meme estourou, nós fizemos uma busca pelo passado do simpático personagem e descobrimos que se tratava de uma triforce de um vídeo amador de Zelda. A coisa ter degringolado a ponto de acabar no “é na sola da bota é na palma da bota” e na evolução “vai no cabeleireiro” é um nível a mais de abstração memética do que tínhamos entrado até então.

Agosto

Bom dia, meu consagrado. Aquele salgado ali é de quê????

Voltando a falar sério nesta matéria sobre memes (risos), tem coisa com as quais não se brinca. Talvez aborto seja um dos itens que poderia ser colocado nessa lista, mas não estávamos ligando muito para as regras nesse caótico 2018 e, por alguma razão, alguém resolveu reviver um vídeo postado há dois anos no YouTube de uma menina que narra a história de um feto abortado pela perspectiva do bebê. O vídeo que se popularizou era um corte, mas, se você já não conhece o meme e todas as suas assustadoras versões, eu recomendo assistir o vídeo completo, linkado abaixo. O foco no rosto das pessoas chorando é a cereja do bolo. Mamãe, por que me tiraste do teu ventre e colocaste-me na terra para pisar-me com seus próprios pés???

Agosto também foi o mês em que as eleições começavam a deslanchar, agora oficialmente. Quem nos forneceu o primeiro (e muitos outros) meme desta safra foi o Cabo Daciolo, que, numa pergunta para Ciro Gomes no primeiro debate eleitoral, citou a URSAL – um suposto império tropical comunista que planejava tornar a América do Sul um só país, aos moldes da União Soviética. Os memes estouraram tanto que foram até, infelizmente, cooptados pelos próprios candidatos à presidência e vice-presidência.

Setembro

Os memes de eleições tavam bons, tava todo mundo se divertindo (até então), mas o Temer estava puto. Tão puto que ele decidiu mandar uma diss no Twitter mais treta que a do Kanye West pro Drake, e os alvos foram vários: Alckmin, Doria, Haddad. Só os vídeos soltos já renderam boas gargalhadas, mas confesso que eu gostaria que esse meme tivesse ido mais longe pra alguém colocar um beat de trap por trás desse flow PESADO.

Também rolaram memes um pouco mais fofos & inocentes, apesar de extensamente irritantes. O inicialmente fofo “é verdade esse bilete”, uma anotação inocente de um menininho que só queria faltar na aula e acabou fazendo a gente aguentar uns três meses de meme ruim – que acabou até entrando na lista de termos mais pesquisados no Google em 2018.

Em compensação, tivemos o quase indecifrável e altamente divertido “vem pro fut”.

Outubro

As eleições estavam rolando, mas a ausência de debates nos obrigou a ser criativos para criar memes durante esse período.

E justamente para justificar a falta destes surgiu o possível meme mais marcante desse período: num vô, tô co bolsa de cocô, taokei???

O  candidato e atual presidente eleito ainda rendeu mais alguns memes, mas talvez quem repercutiu com mais força foram os membros de seu famigerado exército de robôs. Se você já fez alguma coisa sobre Bolsonaro no Twitter, você certamente já viveu a situação ilustrada pelo meme abaixo:

Mas nenhum desses memes foi capaz de explicar tão bem o bolsonarismo quanto a garota que diz não ter privilégios pelo pai ser empresário e ela ter trabalhado com ele.

Pô, ela lá tem culpa que elas não tem pai que oferece emprego pra elas? Melhor que o próprio meme, porém, é a versão funk remix do áudio.

Novembro

O pior (pelo menos desse ano) já passou, e novembro foi o mês em que o fluxo de memes voltou à normalidade menos caótica. Também foi o mês em que fomos agraciados com o melhor vídeo que 2018 nos proporcionou. Veja bem, eu sei que tem muitos vídeos bons nessa matéria, mas nenhum supera esse. Se você está pensando “Vinícius Jr. cantando ‘Atrasadinha'”, você acertou. Esse look, esse falsete. Não tem concorrência.

Teve também o doce de R$29,50 da Vila Nova Conceição e a mina que não quis transar com o cara só porque ele pagou uma sobremesa desnecessariamente cara pra ela. Que absurdo este país, onde nós vamos parar?

Dezembro

O meme de Bolsonaro retorna com toda a força, desta vez tirando um sarro do nosso presidente eleito batendo continência para o assessor dos Estados Unidos.

Infelizmente eu não consegui achar o melhor dessa leva, que mostrava o político reverenciando o clipe de “American Boy”, da Estelle com o Kanye West.

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

Não é qualquer alface que faz sucesso na casa do futuro presidente. Parece que ele gosta do crocante da alface americana 😉

Uma publicação compartilhada por Manuela d’Ávila (@manueladavila) em

O ano passou rápido. E eu gozei rápido, porque…

Via Vice

2Shares

Podcaster, vlogueiro, blogueiro, professor, primata, biólogo que ama teres e não vive sem a morena.