fbpx

Funcionários dos Correios convocam greve geral para dia 18

Funcionários dos Correios afirmam que devem entrar em greve no próximo dia 18, alegando que tiveram 70 direitos revogados, como 30% do adicional de risco, vale-alimentação e auxílio-creche. De acordo com a Federação Nacional dos Trabalhadores em Empresas de Correios e Telégrafos e Similares (Fentect), a categoria entrou em estado de greve e vai realizar assembleias regionais no dia 17 para confirmar a paralisação.

Em nota publicada em seu site, a federação aponta que os Correios desrespeitaram um acordo coletivo vigente até 2021, e que funcionários receberam o contracheque de agosto com descontos indevidos.

A Fentect ainda afirma que houve aumento na participação dos planos de saúde, enquanto houve redução da parte da empresa, algo incompatível com a média do piso salarial dos funcionários, de R$ 1,7 mil.

Além disso, a federação afirma que há “descaso e negligência da empresa com a vida de trabalhadores e clientes” durante a pandemia. De acordo com a publicação, os sindicatos estão travando diversas disputas judiciais para itens de segurança, como sabonete, álcool em gel, desinfecção de agências e testagem de trabalhadores.

O sindicato também diz que os Correios se negam a fornecer os dados de funcionários e terceirizados infectados pela covid-19 e a quantidade de óbitos pela doença.

Procurados pelo Estadão, os Correios ainda não se manifestaram.

NO MATO GROSSO

Os trabalhadores dos Correios em Mato Grosso decidiram cruzar os braços, em assembleia geral realizada na última sexta-feira (31). A greve, por tempo indeterminado, terá início às 22 horas do dia 17 e não mais na próxima terça-feira (04), como era esperado. Eles brigam contra o chamado ‘Pacote de Maldades’, que retirou diversos direitos da categoria.

Os trabalhadores lutam contra a privatização da empresa, por concurso público (último realizado foi em 2011) e pela manutenção do Acordo Coletivo 2019/2020.

Houve uma rediscussão no calendário nacional pela unificação das datas entre todos os 36 sindicatos dos trabalhadores nos Correios do país. Por conta disto, a data da paralisação mudou para o dia 17 de agosto.

O Sindicato dos Trabalhadores nos Correios em Mato Grosso e outros eram pela greve a partir do dia 4, mas foram votos vencidos.

No início de julho, os trabalhadores foram surpreendidos pela decisão do general Floriano Peixoto de retirar 70 dos 79 direitos assegurados em Acordo de Trabalho, ainda em vigência, assinado com intermediação do TST no dissídio coletivo proposto pela própria empresa, ano passado.

Nos próximos dias o STF julgará se a empresa será obrigada ou não a respeitar a vigência do Acordo 2019 a julho de 2021.

Fonte: Terra MT Digital

Ouça nosso Podcast

#66: Polêmicas das Páginas de Humor do Facebook.

Link da Playlist: EDIÇÕES PASSADAS.

kauzz

kauzz

Podcaster, bloqueiro, vlogueiro, youtuber. memezeiro, social média e fundador do site Macaco Urbano. Interessado em curiosidades, sobrenatural, política e teres na madrugada ao lado da morena.