fbpx

Foi descoberto que a maior extinção em massa ocorreu à 2 bilhões de anos atrás

A imprensa mundial não comenta outro assunto científico. Até hoje, pensava-se que a maior extinção aconteceu há 65 milhões de anos. Aquela que pôs fim à era dos dinossauros. Pois agora descobriram uma mais poderosa, a maior extinção em massa aconteceu há 2,05 bilhões de anos.

Amostras de barita

Os pesquisadores coletaram amostras de barita, mineral com mais de 2 bilhões de anos, nas ilhas Belcher, subárticas do Canadá. Rochas antigas que “trazem assinaturas químicas”. Funcionam como pistas úteis para pesquisadores descobrirem como era a atmosfera quando as rochas se formaram. Foi o que disse Malcolm Hodgskiss co-autor do estudo, e principal e Ph.D. da Universidade de Stanford. Ele falou à CNN.

“Grande Evento de Oxidação’

CNN: “O estudo se concentrou em um fenômeno chamado “Grande Evento de Oxidação”. É assim: há bilhões de anos, apenas microrganismos sobreviveram. Quando eles fotossintetizaram, alteraram a composição química da atmosfera. Mas criaram um excesso de oxigênio que eles finalmente não conseguiram sustentar.”
“Os microrganismos esgotaram os nutrientes necessários para criar oxigênio. Isso derrubou a atmosfera da Terra. E levou a uma “enorme queda” na biosfera – a quantidade de vida no planeta.”

Maior extinção em massa: até 99,5% da vida na Terra desapareceu

https://www.newsweek.com: “cientistas descobriram uma extinção em massa que ocorreu dois bilhões de anos atrás. Até 99,5% da vida na Terra desapareceu. O massacre matou mais da biosfera do planeta do que quando os dinossauros foram varridos do planeta. Normalmente, eventos maciços de extinção podem ser rastreados através do registro fóssil. No entanto, em tempos anteriores à existência de vida complexa, a compreensão desses eventos se torna mais difícil. Os microorganismos que compõem a biota do planeta não podem ser rastreados da mesma maneira. Em estudo publicado no PNAS, uma equipe internacional de cientistas examinou rochas da baía de Hudson, Canadá, que se formaram bilhões de anos atrás. Eles estavam olhando para a barita, mineral que contém informações sobre a quantidade de oxigênio existente na atmosfera em um determinado momento.”

Do exame da barita para a conclusão da hecatombe

Ouça nosso Podcast

#62: OVNIS, invasor que limpa casa e eleição decidida no cara ou coroa.

Link da Playlist: EDIÇÕES PASSADAS.

“A partir dessas rochas, a equipe mostrou que houve uma queda maciça no nível de vida na Terra há 2 bilhões de anos. Isso coincidiu com grandes mudanças nos níveis de oxigênio no planeta. Antes da extinção, cerca de 2 bilhões de anos atrás, havia um grande aumento na quantidade de oxigênio na atmosfera. No final deste evento – que é conhecido como o Grande Evento de Oxidação – os níveis de oxigênio caíram drasticamente. Os pesquisadores dizem que as condições de vida na Terra passaram de “festa à fome”. E que essas condições persistiram por cerca de um bilhão de anos.”

E, nós, que achávamos que começávamos a experimentar a sexta extinção em massa, na verdade experimentamos o início da sétima. Sempre é tempo de conhecer uma pouco mais da história do planeta que habitamos.

Fonte: Mar Sem Fim

kauzz

kauzz

Podcaster, bloqueiro, vlogueiro, youtuber. memezeiro, social média e fundador do site Macaco Urbano. Interessado em curiosidades, sobrenatural, política e teres na madrugada ao lado da morena.