fbpx
ter. jul 16th, 2019

A menina não ignorou Bolsonaro, foi tudo FAKE NEWS

3 min read

Infelizmente nos dias conturbados em que vivemos, muitos jornalistas estão atrás de status em seu meio nem que para isso eles tenham que destruir a reputação de uma pessoa. Uma dessas pessoas que foi afetada por isso foi Yasmim, uma criança vítima de FAKE NEWS.

Tenho medo de ir à escola”. A declaração é da pequena Yasmin Alves, de apenas 8 anos. A menina tornou-se conhecida nacionalmente na quinta-feira (17/04/19) após um vídeo viralizar nas redes sociais e ser publicado em dezenas de veículos de comunicação. Na imagem, a criança parece recusar-se a cumprimentar o presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL), durante evento na Escola Classe 1 da Estrutural.

A interpretação dada às cenas, num primeiro momento, pela imprensa, foi equivocada. Tanto Yasmim quanto seus pais confirmam o erro e os transtornos gerados pela informação disseminada.

“Ele perguntou quem era palmeirense e eu balancei a cabeça dizendo que não era”, explica Yasmin, reforçando sua paixão pelo Flamengo.

“Fico muito triste porque as pessoas estão falando mal de mim, que sou mal-educada”,

diz a estudante do 3º ano do ensino fundamental, que, nesta segunda-feira (22/04/19), retorna ao colégio depois do feriado prolongado. O centro de ensino fica numa das regiões administrativas mais carentes do DF, cujo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é 18 vezes mais baixo do que o do Lago Sul, bairro mais nobre da capital.

#61: WikiLeaks e seus terríveis segredos
Ouça nosso podcast antes de ler essa matéria!!

Yasmim e família
Yasmin Alves, 8 anos, viralizou na internet após supostamtente se negar a comprimentar o presidente Jair Bolsonaro. Cléia Ramone, 26, e Valdir Alves, 48, pais da estudente desaprovam a veiculação da imagem da filha. Cidade estrutural, 21-04-2019. Foto: Myke Sena.

Pai bolsonarista

O pedreiro Valdir Alves, 48 anos, pai de Yasmin, diz que o mal-entendido trouxe dor de cabeça e chateação para toda a família. Ele, que se diz eleitor de Bolsonaro, considera um crime a exposição da imagem da menina.

Transferi meu título para cá e votei no Bolsonaro. Não imaginaria que pudesse chegar a esse ponto. Saio nas ruas e vejo as pessoas comentando sobre a minha filha. É uma criança de oito anos convivendo com essa expectativa de não querer nem estudar porque todo mundo fala dela”
Valdir Alves, pai de de Yasmin

Feriado

Preocupada com possíveis retaliações no feriado da Páscoa, a família desmarcou os planos de ir ao shopping comprar os ovos de chocolate nesse domingo (21/04/19).

A enorme repercussão do caso começou após uma matéria ser publicada pela Agência de Estado — pertencente ao Grupo Estado de comunicação —, que produz e vende seu conteúdo para inúmeros jornais do país. Daí o efeito dominó causado pela publicação.

Yasmim e família
Cidade estrutural, 21-04-2019. Foto: Myke Sena.

Foi o próprio Estadão que reconheceu o erro e, nesse domingo de Páscoa (21/04/19), publicou nova reportagem desfazendo o mal-entendido. O periódico informou ter tido acesso, por meio de uma fonte do governo, ao vídeo com legenda – onde é possível ouvir o presidente perguntando às crianças se elas eram palmeirenses.

É nesse contexto que a menina faz sinal de negativo com a cabeça, versão confirmada pela própria Yasmin nesta entrevista.

Fonte: Metrópoles

Avatar

Podcaster, bloqueiro, vlogueiro, youtuber. memezeiro, social média e fundador do site Macaco Urbano. Interessado em curiosidades, sobrenatural, política e teres na madrugada ao lado da morena.

Macaco Urbano© Toda a macaquice reservada. | Newsphere by AF themes.